Home / Crateús / Homem mata a filha, tenta matar a esposa e se mata na zona rural de Crateús
José Bezerra Sobrinho não queria aceitar o fim do relacionamento. Foto: reprodução

Homem mata a filha, tenta matar a esposa e se mata na zona rural de Crateús

Um crime bárbaro choca a localidade de Ibiapaba, na zona rural de Crateús. José Bezerra Sobrinho, vigilante de um colégio e residente em Ibiapaba, zona rural de Crateús, que assassinou a bala sua própria filha por volta das 06h30 desta segunda-feira (08), identificada como Luana Rufino Bezerra, 22 anos, esta que trabalhava como fiscal de obras no município de Ipaporanga, e residia também em Ibiapaba, e ainda tentou contra sua esposa Eloneida da Silva Rufino, sendo impedido por um popular que tomou sua arma resultando em luta corporal.

Luana Rufino Bezerra, 22 anos, trabalhava em Ipaporanga. Foto: reprodução

O acusado ainda fugiu e praticou suicídio por enforcamento em sua residência. O crime aconteceu na estrada que liga a localidade de Ibiapaba a Assis, na estrada do Retiro, sendo que no momento do crime, o pai conduzia um carro modelo Prisma e abordou e efetuou disparos contra a vítima que trafegava em uma motocicleta, e tentou praticar o homicídio contra sua esposa quando ela estava na residência de parentes já no distrito de Ibiapaba, sendo impedido por um senhor identificado como Antonio Pereira de Sousa.

Local onde José Bezerra Sobrinho teria assassinado sua filha. Foto: reprodução

Os corpos da vítima e acusado foram recolhidos pelo Rabecão do IML da cidade de Tauá. A Polícia Militar apreendeu um revolver Taurus 38, que estava com acusado e que foi tomado pelo senhor Antônio Pereira.

A motivação do crime, seria a não aceitação do fim do relacionamento entre o acusado e sua esposa, e no domingo (07) o vigilante teria tido uma discussão com sua filha, e ela própria teria ido registrar um Boletim de Ocorrência na Delegacia. Acredita-se também que o crime havia sido premeditado, pois ele já tinha na estrada em busca de encontrar a filha.

Repórteres: Nathan Loyola e Antonio Fontenele

Comente com o Facebook